Reflexões virtuais que se vão acumulando como pedra sobre pedra. Ora com mais cimento, ora mais soltas. Sem pretensão alguma, a não ser a de disponibilizar alguma ideia que "peregrine" nesta cabeça sobrelotada... Eu disse... sobreLOTADA!!

.posts recentes

. Atenção é tornar profundo...

. Indicações para percorrer...

. Notícias breves

. Florescerá a justiça nos ...

. Rezando com um salmo

. Saber escutar

. Liberdade ou compromisso?

.arquivos

. Novembro 2013

. Março 2009

. Julho 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

Quarta-feira, 14 de Março de 2007

Quaresma - tempo de "purificação"

“Se as pessoas estivessem enamoradas pela vida não se anestesiariam para ela, não tomariam nada que os impedisse de se encontrarem com a sua amada. Mas as pessoas não estão apaixonadas pela vida e por isso passam todo o tempo a anestesiar-se para ela, a fugir dela…”


Agostinho da Silva em entrevista na RTP 2 (Reposição, dia 15/2/2006)

Porque a Páscoa é acontecimento central e decisivo na nossa caminhada de fé, ela requer de nós um tempo de preparação - a Quaresma que, habitualmente associamos a tempo de sacrifício, de renúncia, de tristeza, ou talvez nem sequer já identifiquemos com nenhum destes significados, por desconhecermos completamente o seu sentido. Mas, antes de ser sacrifico e renúncia, a Quaresma é um desafio a deixarmos tocar pelo amor de Deus revelado em Jesus Cristo, a deixarmo-nos apaixonar pelo seu projecto de vida que assume o clímax na radicalidade da entrega na Cruz: "a minha vida ninguém am tira; sou Eu que a dou" (Jo. 10, 18).

É que a sintonia com o projecto de Jesus apaixona e faz olhar para a vida como algo aberto e a construir-se. O encanto da vida cristã está em perceber que a existência tem um “para quê” a que precisamo responder sempre. Fazem parte da experiência desse encanto a gratidão apaixonada pelo dom da vida e a percepção da condição própria com seus limites. Aliás são elas que geram confiança e dão ousadia.

É em função dessa gratidão apaixonada que a Quaresma nos propões uma série de renúncias - o jejum, a abstinência, a partilha - são formas de nos "desintoxicarmos" de tanta coisa que chegamos a creditar que nos faz imensa falta, mas que, na realidade, apenas nos vai "anestesiando", tornando incapazes deste apaixonamento, de saborearmos o essencial do estar vivo e do viver com e para os outros.

Com o nosso Bispo, vamos da contemplação ao serviço.

publicado por p joaomaria às 22:28
link do post | comentar | favorito
|
1 comentário:
De Lena a 21 de Março de 2007 às 00:48
Nesta Quaresma, proponho-me ao perdão de assuntos por resolver!
Por perceber que só pela caridade se chega lá! E ela"... tudo crê, tudo espera tudo suporta!"

Comentar post

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Novembro 2013

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29

.links

.contador

anuncios gratis
anuncios gratis
blogs SAPO

.subscrever feeds